Uma pesquisa encomendada pela empresa global de cibersegurança Kaspersky Lab e desenvolvida pela consultoria de pesquisa de mercado chilena CORPA aponta que quase 40% dos latino-americanos dizem estar acostumados a fornecer dados pessoais em troca de cupons, descontos especiais ou programas de fidelidade. No Brasil, 35% dizem que trocariam dados pessoais por descontos.

Isso deixa os brasileiros mais para os desconfiados na região, longe dos muito favoráveis chilenos (47%), colombianos (45%) e argentinos (44%), ao lado de peruanos (37%), mas ainda bem a frente dos mexicanos (24%) quando perguntados sobre a mesma disposição para esse tipo de troca.

No corte por faixa etária, quanto mais jovem mais disposto a trocar dados por vantagens – a proporção é de 44% entre jovens entre 18 e 24 anos, mas cai para 39% entre usuários com idades entre 25 e 34 anos e para 33% quando questionados aqueles entre 35 e 50 anos.

A pesquisa apontou, ainda, que 62% dos entrevistados realizaram operações bancárias por meio de dispositivo móvel, sendo o hábito mais comum entre os chilenos (77%), seguidos pelos colombianos (68%), brasileiros (63%), peruanos (56%), mexicanos (55%) e argentinos (54%).

Entre eles, 90% usam os dispositivos para transferências bancarias, 50% para compras online. Os usuários entre 25 e 34 anos são os que mais realizam transações móveis (69%). Com 60%, as pessoas entre 35 e 50 anos aparecem em segundo e, por fim, os jovens entre 18 e 24 anos (54%).

Fonte