Significados de Crise, para a publicidade digital pode ser Inovação – Daniel Bryan

Acredito que o perfil de profissional bem sucedido dos tempos modernos é aquele que sai de uma posição passiva para investigar o que pode melhorar em suas áreas de atuação e colocá-las em prática. Neste sentido o conhecimento acadêmico pode completar muito um profissional quando se encontra aplicabilidade para enriquecer a sua área.

Seguindo este raciocínio apresento “As práticas publicitárias frente à cultura digital” – esta pesquisa mostra que um dos grandes desafios da publicidade atual tem sido a capacidade de chamar a atenção diante do crescimento de tantas ofertas de informação, diante de um público cuja cultura está sofrendo diversas alterações com o crescimento do ciberespaço.

Em qual contexto a publicidade está inserida hoje? O velho modelo de agência de publicidade será superado? Publicidade será feita para vender produtos? Quais as tendências nas práticas publicitárias para atrair e reter a atenção?

Para tentar responder a estas questões investiguei os desafios e as tendências da publicidade na era digital, dentro de um contexto de revolução midiática. Também apresento à campanha do Presidente Barack Obama sendo uma referência de estratégias avançadas.

A pesquisa acabou de sair do forno com argumentos, dados estatísticos e exemplos bem atuais. Para acessar visite o penúltimo post ou permalink: blog.bryan.com.br/monografia

Significados de Crise para a publicidade digital

Aproveito o conhecimento adquirido na minha pesquisa para mostrar uma relação positiva entre crise e a publicidade digital.

Para o Aurélio, crise é um estado de dúvidas e incertezas, na economia é uma ameaça que abala a confiança dos investidores, no ideograma Chinês é igual à oportunidade. Clichês à parte, a crise pode ser uma grande oportunidade de mudança para a comunicação na era digital.

Restrições de investimentos já estão acontecendo nas empresas e projetos aqui no Brasil, intensificados pela péssima cultura de achar que comunicação é gasto e que não se deve fazer investimento de risco, assim esperam do Estado ou a Sorte para que melhorem a situação. Diante de um cenário caótico para a comunicação e seus profissionais, resta ser muito otimista e tentar tirar o melhor proveito desta crise. A pergunta é: como?

Este momento pode ser uma oportunidade quando sabemos mudar o discurso, a tecnologia, os padrões, para uma comunicação mais inovadora, integrante de uma nova cultura. Penso que a crise será uma grande mola propulsora para a publicidade digital.

No Brasil, 23% dos maiores provedores prevêem um crescimento da internet entre 25% e 50% neste ano (IT Web), já somos 64,5 milhões de internautas (Folha, 08/08), sendo que 97% das empresas estão conectadas à internet, tornando o terceiro veículo de maior alcance, atrás apenas de rádio e TV.

Na teoria sabemos que o silêncio de uma marca abre uma brecha para o concorrente ter maior visibilidade. A solução é investir em novas tecnologias que além de mais barato ainda conseguem o mesmo impacto das tradicionais. São web sites, redes sociais, marketing nos celulares, advergames, o buzzmarketing (comentários no blog para uma marca), a TV sobre IP, entre outros.

Acredito no “poder” do marketing digital como estratégia porque apresenta a melhor relação de retorno investimento (ROI), a sua linguagem se adéqua melhor a nossa nova cultura, tornando-a ainda mais persuasiva. Empresas mais tradicionais que ainda não acredita em seu potencial estarão abrindo uma brecha para as que acreditarem.

Se crise pode significar oportunidade, chegou a nossa chance de responder com Inovação!

[]`s
Daniel Bryan