Era uma vez um TIM… meu primeiro celular com mais de 10 anos e que foi bloqueado definitivamente. Motivo? Permaneci em linha algumas horas numa emergência profissional. Alegaram prática de telemarketing rs Para completar, o bloqueio corrompeu o IMEI do aparelho. A Samsung empurrou responsabilidade à TIM. Apelei para hacker Mailson do @BrasilDroid que fez a recuperação 😉

O caso foi parar na Anatel e Procon e em nenhum deles conseguiu diálogo ou interpretação do meu caso. As respostas são sistêmicas: – “Impossível reverter status!”, “Você ifligiu o item x do contrato”.

O maior problema neste caso foi a perda do número pelo tempo e histórico dos contatos.

A Anatel coloca a disposição meia dúzia de consultores para atender a população toda, quase impossível falar com alguém. Já o site é apenas uma interface “fake” onde a própria TIM responde com ctrl v e ainda manipula as interações aos seus interesses. Aqui, não temos uma entidade séria que nos represente com força jurídica e técnica. A TIM a todo momento argumenta que cumpre normas da Anatel.

Os prejuízos foram a perda de um Galaxy Note 2, bloqueio permanente de um Galaxy S3, 3 meses sem linha e muito tempo em ligações e deslocamentos.

Privatizaram as teles para promover a competição, mas tudo que conseguiram foi ampliar um péssimo serviço e sem investimentos em infra. Com a portabilidade, surgiram infinity, ops, infinitas promoções mentirosas e quando não aguentam a alta demanda, o sinal cai, você perde o serviço (comigo o aparelho) e ainda se submete a uma cultura fascista para tentar recuperar.

No meu caso, meu plano Pós tinha um limite total e por ligação, quando você atinge o limite do banco de horas, a TIM bloqueia a linha e o aparelho colocando ambos numa “black list”. Você deixa de ser um cliente interessante!

O setor especializado em segurança chegou a falar: – “cai fora, a TIM não quer você como cliente!”. Você infligiu o item X do contrato.

A Anatel e Procon cientes dos problemas de milhões de brasileiros, não criam mecanismos efetivos para proteção dos usuários.

Ficamos atados, sem poder fazer nada, reféns da bandidagem que as Teles impõem. Para exercer alguma pressão somente na Justiça!

Uma pena estas entidades serem tão incompetentes, estas deveriam ser de responsabilidade do governo e não ter repassado segmentos tão importantes para agências terceiras. Com ressalva à Anvisa, que mostrou punho político na conquista do Genérico.

O desfecho desta história foi forçar o cancelamento da linha com perda oficial do número e como um novo cliente (outra operadora) acabei resgatando o meu próprio número 😉 O que mudou nesta história foi a motivação de quem trabalha na área. Infelizmente o interesse de vender, bater cota, valem muito mais do ficar sem celular. O lado humano, a responsabilidade profissional, a ética, a integridade moral foi comprado numa promoção! Estes são os valores que empresas líderes disseminam em nossa sociedade: a lógica da mercadoria!

Vai tarde TIM! Vai p/ P!@#$%ˆ&*()!!! hehe